Não tenha vergonha de ser exatamente o que você quiser

Desde quando eu ainda era uma garotinha, eu sempre fiz balé e amei ser bailarina. Porém, conforme fui ficando mais velha, eu comecei a ganhar muito peso devido a alguns problemas hormonais e achei que não poderia mais ser bailarina porque bailarinas são extremamente magras.

Ainda passei um tempo insistindo em ir nas aulas, mas eu era a única gordinha da turma e eu comecei a me sentir muito envergonhada na hora de executar os movimentos porque todo mundo ficava olhando pra mim, esperando que eu errasse, mas eu era muito boa e isso nunca acontecia, mas infelizmente aquela situação me deixava extremamente triste.

Comecei a faltar muitas aulas, até que um belo dia eu desisti de vez. Só conseguia pensar que eu não ia precisar mais ficar lidando com aqueles olhares e isso me deu um grande alívio, mas com o passar dos dias o balé começou a fazer tanta falta que eu comecei a ficar realmente depressiva por ter saído.

uma imagem sobre collant para ballet

Foi assim que eu percebi que mesmo com as pessoas incompreensivas, eu ainda era mais feliz fazendo o que amo, mesmo sendo julgada, do que abrindo mão disso por medo das críticas e dos olhares das pessoas. Resolvi comprar um collant para ballet bem lindo e voltei a fazer balé me sentindo realmente feliz e poderosa.

Então, se você tem uma paixão na sua vida e pensa em abrir mão dela por medo ou vergonha de ser quem você é, não se deixe abater por causa das outras pessoas! Nunca abra mão do que você ama por medo de ser julgado ou incompreendido porque nada vale mais do que a sua felicidade.

Eu vivi isso na pele e quase abandonei uma das coisas mais importantes e que me faz mais feliz na minha vida, então por experiência própria eu te digo para escutar o meu conselho. Compre uma roupa bem linda, se olhe no espelho e se ame! Isso é o mais importante. Não deixe ninguém tirar o seu brilho e nem a sua vontade de viver e seguir os seus sonhos porque só você pode se fazer feliz.

Eu estou vivendo a melhor fase da minha vida como bailarina e inclusive vou participar de um recital no mês que vem, coisa que jamais aconteceria se eu tivesse desistido, e não poderia estar mais feliz comigo mesma, com o balé e com o meu corpo!